terça-feira, fevereiro 19, 2008

Angústia e aflição...

Photobucket


Desde a manhã de ontem,
que vivo momentos de grande angústia
com um misto de aflição,
insegurança e ao mesmo tempo muita Fé.

Sou uma mulher "forte" por natureza,
como me costumam definir o "pilar",
quer no seio familiar, quer no núcleo de amizades.

Não é fácil ser-se "forte", mas tem sido
o lema da minha vida, e nas últimas horas,
uma atitude necessária e vital,
para a minha filha e o meu genro.

Viajaram os três no passado Domingo
para o Brasil, esperava-os uma semana
de férias de sonho...
E mal chegaram o sonho tornou-se um pesadelo.

A nossa Lara adoeceu com uma grave
gastroenterite, que em escassas horas
teve uma evolução muito negativa.

O primeiro telefonema que recebi ontem,
eram 11h horas da manhã (hora local):
A Sana em lágrimas dizia que a menina estava
a ficar muito mal, e aguardavam a chegada
dum médico ao Hotel.

Pouco tempo depois um pouco de ânimo
na voz da minha filha, a menina estava
com terapêutica e podia melhorar...

Ânimo que depressa esmoreceu,
porque tudo evoluia rapidamente e para pior.
A Lara deixara de se manter de pé,
estava com um olhar vazio e não respondia a nada.

Os vómitos, febre alta e a diarreia
continuavam a agudizar-se.

Novo telefonema umas horas depois ,
e já reinava o desespero nos pais,
sózinhos num País distante vendo a filha a piorar.

Apesar das péssimas informações
sobre o Serviço de Saúde naquele país,
incentivei-os a levarem a Lara rapidamente a um hospital.

No tempo de espera a Lara tem algumas convulsões,
eles tão longe e eu aqui impotente...
não tenho palavras para vos descrever,
o que são momentos assim.

Duas horas depois, finalmente mais notícias,
a Lara foi bem assistida, deram no imediato
terapêutica injectável e no próprio
Hospital foi comprado o antibiótico.
Afinal o sistema de Saúde não foi assim tão mau.

Iam comer algo e descansar
zelando pela nossa princesa...

E desde as 22.30h , até este momento
tem sido um silêncio...

Sinal que para já tudo está melhor,
(espero e penso eu)
mas o meu coração está sem rumo,
até ter mais notícias, e só me sentirei
em Paz quando tiver a Lara nos meus braços.

Sei que o Meu Deus não me abandona,
e foi a Ele que recorri ontem e hoje,
e sei que zelará pela minha menina,
porque Deus existe e já me deu provas disso.

Estou sózinha com a minha Fé,
embora rodeada de amigos e familia
que me apoiam e dão mostras de carinho.

Mas é na Fé que me refugiei para
poder sentir-me ainda "forte" e
continuar a ser para todos o "pilar".

2 comentários:

Dianinha disse...

Já chorei a ler o teu post.
Penso na lara como se já fizesse um bocadinho parte de mim e quero muito que ela melhore.
Compreendo o quanto deve ser dificil para ti neste momento.
Beijo

delonir disse...

LINDO D+ TEU POEMA
MUITO EMOCIONANTE