quinta-feira, fevereiro 19, 2009

As conversas que eu oiço:)

O facto de ter deixado de vir de carro para Lisboa, e optar por fazer a travessia do Tejo no Combóio da Ponte, mudou em muito os meus dias nesta viagem que faço há anos.


É muito mais cómodo, não há stress que me chegue, ninguem me ultrapassa ou buzina, perco menos tempo no trajecto, não gasto gasolina e ainda... ouço diariamente conversas entrecruzadas, de quem viaja perto de mim. Não não sou cusca (pronto sou um cadinho, vá lá) mas a realidade é que é impossivel ficar alheia às ditas palrações dos passageiros.


As conversas delas:


Os temas são variadíssmos, desde o falarem (e muito muito) dos seus rebentos (todos são precoces, lindos e inteligentíssimos), a falarem de culinária ( até fico enjoada com tanta comida), todas são explêndidas cozinheiras, salvo uma excepção, a comida das mães consegue ser melhor, sendo a das sogras perfeitamente intragável.
E passando às sogras, elas não são só más cozinheiras, são más e ponto!
Nisso tenho de acenar a cabeça em tom de concordância e quase me apetece pendurar na conversa delas.


De sexo não falam, mas em contrapartida falar de trapos é do melhor!
Desde a marca do que compram, às pechichas, às que já compraram, às que irão comprar, e o que as delicia mesmo comentar:
"A Xica Larica comprou isto ou aquilo, que lhe fica pessimamente, nela nada brilha e já viste, gasta fortunas!", isto faz com que o sorriso lhes transborde e até se ajeitam melhor no assento tal é a felicidade.


O ginásio ou a natação também constam nos diálogos, e aí podemos vislumbrar um brilhozito fugaz de luxuria no olhar, quando falam do professor das aulas, aleluia cheguei a pensar que elas era assexuadinhas de todo.


Despedem-se com sorriso e beijos e lá rumam aos empregos ou a casa.


Se o telemóvel toca ou elas ligam, por norma é para as mães, filhos, infantários e uma ou outra tem amigas, tudo muito saudavelzinho.


Mas eles são diferentes:


Por norma falam pouco, não têm grupinho, é o que calhar e sentam-se ao acaso e não marcam lugar para os amigos conhecidos.


Ouvem musica, passam os olhos nos jornais da estação (serem de borla até se lêem melhor) e alguns então lá começam a conversar.


Assunto primordial, futebol, e até se esquecem que estão a partilhar uma carrugem e alteram o tom de voz, esbracejam e largam gargalhas sonoras e jocosas, vê-se bem que vibram de prazer.


Falar dos carros é importante, as marcas, a funcionalidade os preços o consumo e afins, por norma o carro deles é excelente mas o do Administrador da empresa é um abuso!


Das crianças e esposas, não há conversa, estão lá em casa e assim é que estão bem!


Mas há um tema que eles gostam bastante... as gajas!
E aí aquelas carinhas de parvo que Deus lhes deu tranformam-se em carinhas de anormais/babosos, os olhitos brilham, as sobrancelhas erguem-se e o esgar dos lábios toma contornos libidinosos, têm escarrapachado na cara que vão ter conversas de ir ao pito. Ou melhor, que gostariam de ir e os pitos que não tocam mas cobiçam. Estas são para mim as conversas que me dão mais prazer ouvir.


Falam pouco ao telemóvel, por norma chamadas para a empresa, mas há os que têm as amantes, oh desses gosto eu, ligam para elas, com uma voz melosa, ronronam e sorriem com a tal cara de anormais/babosos,só que por vezes têm de interromper a converseta, para atender a esposa que está em espera e dizer-lhe secamente: "Tá bem eu vou buscar os miudos, é sempre a mesma coisa!"


Depois vem a juventude, oh céus são de bradar, a linguagem por vezes é indecifrável, consigo por vezes entender melhor aquelas senhoras que viajam em grupo, falam muito alto e em crioulo.


Os jovens machos falam de saídas à noite, combinam "cenas", falam da Faculdade, e delas claro, mas quando falam delas é dum jeito comedido, vá lá, salve-se qualquer coisinha.


As jovens fémeas, taditas, que coisinhas aberrativas, para começar, vestem todas da mesma maneira, consoante os grupos claro, e falam muitooooo alto, usam palavrões como usam as tintas que lhes borram o rosto, e falam mal das colegas e amigas, sempre a conspirar as próximas represálias "Tás a ver?".


E quando falam deles é uma peninha!
Uns são tão bonzinhos que até apetece namorá-los também,outros são "machos" a mandam-nas para o c*ralho batem-lhes e elas acabam, mas dão sempre uma "segunda chance" porque aquilo não foi por mal e errar é humano.
Há dias ao ouvir uma prelecção destas, quase me saltou a tampa e senti vontade de abanar a rapariga e dizer: Oh menina acorda para a Vida, se isso é agora mais tarde como será? Cresce filha, aprende a respeitar-te senão vais levar a viduncha a levar nos cornos!"


Os mais idosos, tadinhos, pouco falam e pouco viajam, as suas idas e vindas têm a ver com a Saude e os Hospitais, esses enternecem-me e ao mesmo tempo penso no meu amanhã.


E posto isto pergunto não querem viajar comigo?:)


Luisa

5 comentários:

sete letras apenas - se escreve saudade disse...

Está uma maravilha o teu post de hoje bem gostava de viajar todos os dias contigo é uma aventura deliciosa
Beijinhos querida continua asssim para nos dares a alegria de te visitar todos os dias e ficar bem disposta
Teresa

Anónimo disse...

Olá Uiza, o teu blogue está o máximo, muito divertido e original.A tua viagem faz-me lembrar a minha kd vou de bus, é os miúdos a falar com um tom elevado e não só; é os idosos a criticar que no tempo deles nd disso acontecia, e os adultos com essas mm conversas que referites no blogue.Continua divertida e muito bem dispostinha como tu és.Beijokas Carla

sonhos disse...

Bem amiga, gostava imenso de ir numa viagem contigo, pois minha viagem é de carro em 10 minutos e com minha filhota. tua pagina esta linda assim como este post.

Melhoras à Ju

Beijinhos de coração

Quase nos 50 disse...

Adorei!
Eu não faria melhor!
Isto porque viajo nesse mesmo comboio dede o início e já oivi e vi de tudo.
Mas falhou-lhe um novo dado: os que vêem de Setúbal trazem uma clientela muito curiosa.....verifique que vai adorar.
Mas eu pertenço ao grupo dos que querem dormitar e as tagarelas dão-me cabo do juízo, confesso.
Normalmente prefiro sentar-me num lugar em que já estão homens assim sei que não vou ser incomodada eheheheheh
Beijinhos

Madá disse...

Ah, Luisa! Quem me dera poder estar um dia por um pouquinho ao teu lado e ouvir vc contar estórias assim, divino! Adoro tua maneira de escrever. Parece que estás em nossa frente, falando e imitando as pessoas e rindo... e eu fico aqui, rindo feito uma boba... um beijooo linda!!!