terça-feira, março 17, 2009

Os Alentejanos e Eu:)

Sou Alfacinha de gema, pois que sou sim senhora, com "costelas" alentejanas também é verdade, vivo com um alentejano há quase 30 anos (e nã me queixo;) adoro o Alentejo, as suas gentes, a gastronomia e as paisagens únicas, por conseguinte os alentejanos e eu andamos de mão dada desde que me lembre, e assim será!

Ontem recebi aqui um texto que está delicioso, como sou uma miuda simpática e amiga de repartir, nada egoista por sinal, aqui vos deixo e espero que vos arranque um sorriso, se não conseguir que seja uma bela gargalhada.

Ahhh contínuo bafejada pela felicidade (deixa-me aproveitar que isto pode não durar muito)!






A PILITA ALENTEJANA

Rija, enquanto durou.

Agora q'amolengou e antes q'a morda a cobra,

Vou atá-la c'uma corda

Pra ela nã me fugiri.

Preciso da sacudiri,

Leva tempo pá'cordari

Já nem se sabe esticari.

Más lenta q'um caracoli,

Enrola-se-me no lençoli.

Ninguém a tira dali,

Já só dá em preguiçari.

Nada a faz alevantari

E já nã dá com o monti,

Nem água bebe na fonti.

Que bich'é que lhe mordeu?


Parece defunta, morreu.

Deu-lhe p'ra enjoari,

Nem lh'apetece cheirari.

Jovem, metia inveja.

Com más gás q'uma cerveja,

Sempre pronta p'ra brincari.

Cu diga a minha Maria,

Era de nôte e de dia.
Até as mulheres da vila,

Marcavam lugar na fila,

P'ra eu lha poder mostrari !

Uma moura a trabalhari,

Motivo do mê orgulho.

Fazia cá um barulho !

Entrava pelos quintais,

Inté espantava os animais.
Eram duas, três e quatro,

Da cozinha até ao quarto

E até debaixo da cama.

Esta bicha tinha fama.

Punha tudo em alvoroço,

Desde o mê tempo de moço.

A idade nã perdoa,

Acabô-se a vida boa !
Depois de tanto caçari,

Já merece descansari.

Contava já mê avô: "Niuma rata lhe escapou !"

É o sangui das gerações.

Mas nada de confusões,

Pois esta estória aqui escrita,

É da minha gata, a Pilita !




Luísa

6 comentários:

Brigitte disse...

lol....

beijos
:)

Ovinho Estrela(do) disse...

Luisa!!

Dá cá um abracinhooooooo!! Que saudades!! :))

Só te vou falar na costela alentejana...

O alentejo, a mim... tira-me o ar...

(suspiro mode)

que saudades do alentejo...

O meu sonho? morar lá... Alentejo, ribatejo, qqer coisa! desde que tivesse uma casinha branca com janelas azuis ou amarelas. Um campo em redor e um chapéu de palha com fitinhas para mudar consoante as minhas roupas frecas!!

Ohhhhhhhhhhhhhhh


(Já li em baixo... Graças a Deus tudo está bem com a Joaninha...)

Beijossssssssssss

mjf disse...

Olá!
Um final diferente...do que eu já stava a pensar :=)
eheheh

beijocas

Pjsoueu disse...

Luisa:

Não há duvidas..alentejano que se preze tem uma poesia romântica sem igual...lol

beijos, comadrezita:)

Pj

Madá disse...

kakakakakakakakaka, a gata, sei...

Madá disse...

kakakakakakakakaka, a gata, sei...